Bairro despovoado por conflito mineiro

 

Evaristo Tavares: Angola-AJUDECA, Província da lunda Norte: Município do Cuango, Data: 27 de Agosto de 2019. . Autores: Governo provincial, administração municipal e empresas extrativas (Boss Muteba, Projeto Cuango, Projeto Ajuda os Jovens).

Área de nome 5 pratos é despovoado por causa de conflitos de terras e exploração mineira. O povo que nele habitava, poderia escavar diamante até por trás da sua casa, mas quando as autoridades locais (administração e as empresas de exploração) descobriram, viam impor aos comunitários para deixar de escavar e que deveria se retirar da área alegando pelo principio da constituição que a terra é originaria do estado. Os constante conflito fez com que surgisse briga, e ate mortes de cidadãos e entidades das empresas exploradora. A administração local, usou as suas influencia e colocou militar no terreno para monitorar os co-habitantes. A opressão era demais e fez com que a população se afastasse do local, despovoando a área deixando nas mãos do governo local, que por sua vez entregou as a empresa exploradora.

Na nossa opinião e sugerimos que o Estado-Governo tem de ter bastante cuidado quando lhe dando com o povo, que são os primeiro habitante antes das leis forem estipuladas. Nesta ótica, deve haver sempre negociações e princípios honesto de acordos como indiminização, asseguramento de outros porção de terra para continuar as suas práticas e de hábitos e costume.

 

Area name 5 plates is uninhabited because of land conflicts and mining. The people who inhabited it could dig diamond even behind their house, but when local authorities (administration and exploration companies) found out, they were imposing on the community to stop digging and that they should withdraw from the area by claiming the principle of constitution that the land is originally from the state. The constant conflict has led to fighting, and even deaths of citizens and exploiting companies. The local administration used its influence and deployed the military to monitor the co-inhabitants. The oppression was too much and made the population move away from the place, depopulating the area leaving it to the local government, which in turn handed over the exploiting company.

In our opinion, we suggest that the State Government must be very careful when dealing with the people, who are the first inhabitants before the laws are stipulated. From this perspective, there must always be honest negotiations and principles of agreements such as indemnity, securing other land to continue their practices and habits and custom.