Poluição ambiental

 

Evaristo Tavares: Angola-AJUDECA, Provincia da lunda Norte: Municipio do Capenda-Camulemba – Bairo Samba , Data 12.09 de Setembro de 2019. , Autores: administração local, poder tradicional e habitantes.

O bairo do Samba de 855 habitantes, sofre de poluição aquatica pela contaminação da aguá de um pantano feito esgoto, localizado num ponto de muita frequencia humana, proximo do mercado informal e da policia nacional . O bairro tem um enorme pantano que a população usa como deposito de lixo. Polluindo o ambiente e prejudicando a saude da população que já é bastante precaria e lastivel uma vez que o proprio bairro não tem postos de saude. Que na qual são obrigados a andar mais uma distancia de 50 km, para o hospital municipal.

Feito um inquerito aos habitantes, alegavam desconhecer o perigo que correm pois o mesmo já existe há mais de 12 anos . mas citam as frenquentes doenças que tem levado a vida de muitos, tais como  a malaria, doenças respiratorias como bronquite para as crianças, infecção da pele e muitos apresentam desturbio fisico como tontura e segueira temporária. H-a uma neglização por parte das autoridades e responsaveis comuintários.  Sugerimos que o Estado-Governo faça uma intervenção começando por analisar quais são as preocupações no que tange a suade e doenças frequente, estudar os problemas e em conjunto com a população, poder tradicional e cooperação com os agentes da sociedade civil pormover campanhas de mobilização e açoes de redução das aguas e residuos solidos que sejam portador das bacterias e lavas que la habitam.

Samba Bay, with 855 inhabitants, suffers from water pollution due to the contamination of water from a sewage swamp, located in a very frequent human point, near the informal market and the national police. The neighborhood has a huge swamp that the population uses as a garbage dump. Polluting the environment and damaging the health of the already precarious and pitiful population since the neighborhood has no health posts, which are required to walk a further distance of 50 km, to the municipal hospital. Having made an inquiry to the inhabitants, they claimed to be unaware of the danger they are in because it has existed for over 12 years. But they cite the frequent illnesses that have taken the lives of many, such as malaria, respiratory diseases such as bronchitis for children, skin infection, and many have physical disruption such as dizziness and temporary illness. There is a denial by the authorities and community officials. We suggest that the State Government make an intervention starting by analyzing what are the concerns regarding sweating and frequent illnesses, studying the problems and together with the population, traditional power and cooperation with civil society actors by moving mobilization campaigns and water reduction actions and solid wastes that carry the bacteria for the habitats.