Realizou-se hoje, dia 23 de Junho de 2021, no povoado de Capanga, no posto administrativo de Benga, no Distrito de Moatize, na Província de Tete, mais um encontro de concertação entre a comissão criada para lidar com o processo de reassentamento da comunidade de Capanga para Mboza.
Estiveram presentes a chefe da Localidade de Benga, líder do primeiro escalão de Benga, líderes comunitários de Benga, Capanga, organizações da sociedade civil, AAAJC, Liga dos direitos humanos, Kuwuka, Capemi, FOCIMO, Comités de gestão de recursos naturais de Benga e Mualadzi.

O referido encontro está inserido nas negociações com a empresa ICVL que insiste em dar 25.000,00MT de indemnização por perca da actividade económica e de terras. A comunidade rejeita esta oferta da empresa mineradora e bate com o pé que só sairá com uma justa indemnização e pede que a empresa encete contactos directos com a comunidade
O plano de reassentamento é uma das exigências da comunidade que a empresa ICVL recusa disponibilizar a comunidade.
De recordar que a liga dos direitos humanos é que está a facilitar o diálogo tri-partido entre a empresa, governo e a comunidade e prometeu levar todas as preocupações da comunidade à empresa.
Houve boas intervenções das organizações da sociedade civil no sentido de haver uma justa indeminização e celeridade no fecho das negociações visto que as casas já foram construídas e a empresa deve criar todas as condições que vem no caderno reivindicativo da comunidade.
Um acto de registro digno foi a participação massiva das organizações da sociedade civil naquele encontro em prol de melhores condições da comunidade de Capanga.
A comunidade advertiu que só sairá quando tudo que reivindica seja atendido por isso que este caso promete correr muita tinta já que a comunidade não dá o braço a torcer e tem amargas experiência da comunidade abandonada de Mualadzi pela ICVL.

________

The Capanga Resettlement process is at an impasse

Today, June 23, 2021, in the village of Capanga, in the administrative post of Benga, in the District of Moatize, in the Province of Tete, another consultation meeting was held between the commission created to deal with the resettlement process of the community from Capanga to Mboza.
The Benga Locality Chief, Benga Senior Leader, Benga Community Leaders, Capanga, Civil Society Organizations, AAAJC, Human Rights League, Kuwuka, Capemi, FOCIMO, Benga Natural Resources Management Committees and Mualadzi.

Remember that the human rights league is facilitating the tri-partite dialogue between the company, government and the community and has promised to bring all the concerns of the community to the company.
There were good interventions by civil society organizations in the sense of having fair compensation and speed in closing the negotiations, since the houses have already been built and the company must create all the conditions that are included in the community’s list of claims.
A worthy act of record was the massive participation of civil society organizations in that meeting in favor of better conditions for the Capanga community.
The community warned that it will only come out when everything it claims is attended to, which is why this case promises to run a lot of ink as the community does not lend a hand and has bitter experience of the abandoned community of Mualadzi by the ICVL.