Tem sido muito difícil apanhar um chapa nas primeiras horas da manhã, na cidade de Tete. Os transportadores tem a mania de não chegar no terminal, parando no centro de saúde em Matundo.

As pessoas, ficam horas e horas a espera do chapa que irá até o terminal mas nunca aparece, e porque é difícil acabam subindo nos chapas que param no Matundo, para poderem fazer ligações.

Os chapeiros, depois de descarregar os passageiros pelo caminho, carregam pessoas na mesma paragem para o terminal. Os cobradores, fazem isso com o objectivo de exigir o dobro do valor, ou para encher duas vezes o carro numa única viagem, já que no meio de percurso há muita gente a espera do chapa. Aparentemente, isso acontece devido a redução do número de passageiros, de 4 pessoas para 3 em cada banco.

As autoridades municipais tem conhecimento e poucas vezes atuam, e os infratores ganham espaco, contribuindo negativamente para os utentes da via.


Dismantling of Carriers in Moatize

It has been very difficult to catch a chapa in the early morning hours in the city of Tete. Transporters have a habit of not arriving at the terminal, stopping at the health center in Matundo.

People spend hours and hours waiting for the bus who will go to the terminal but never show up, and because it is difficult, they end up climbing on the bus who stop at Matundo, so they can make calls.

The carriers, after unloading passengers along the way, carry people at the same stop to the terminal. The collectors do this with the aim of demanding double the amount, or to fill the car twice in a single trip, since in the middle of the route there are many people waiting for the bus. Apparently, this is due to the reduction in the number of passengers, from 4 people to 3 in each seat.

Municipal authorities are aware and rarely act, and offenders gain space, negatively contributing to road users.